Reflexões, dicas e ideias

Este é um espaço para troca de ideias e difusão de conhecimento. Leia, comente e faça sugestões de temas!

As festas de fim de ano e a tristeza

“Tristeza, por favor vá embora

minha alma que chora está vendo o meu fim”

 

Festas de final de ano. Natal, Ano novo, festas de confraternização, amigos secretos e tantas outras festividades. Seria a hora certa de espantar a tristeza?

Momento de alegria e de cantar vários jingles aprisionados em nossos pensamentos desde os tempos áureos de criança, certo?

Existe uma pressão social para que tudo esteja bem e para que tudo pareça feliz em nossa sociedade, principalmente nesta época.

Somos o país do “passar o pano”, “dar um jeitinho”. Se alguns (muitos) bilhões somem do orçamento governamental e nós fingimos que está tudo bem, por que não fazer o mesmo com nossas vidas no fim do ano?

Entretanto, é necessário entender e abrir espaço para a tristeza.tristeza

O fim de um ciclo, qualquer que seja, pode eliciar alegria, mas também tristeza, stress e até mesmo depressão.

Os prazos implacáveis do final de ano, a preparação das festas, viagens, reuniões de família (nem sempre tão agradáveis assim), podem ser estressantes.

Os fatores mais relatados como motivos de tristeza são:

  • As lembranças daqueles que não estão por perto, seja porque já se foram desta vida, seja porque estão afastados, física ou emocionalmente.
  • As lembranças de momentos felizes que não acontecem mais e o reconhecimento de que as coisas podem não mudar para melhor, ou, ao contrário, podem piorar.

Em um país instável, em que as manobras governamentais obscuras parecem tomar dimensões maiores a cada dia, é de se esperar que grande parte da população não comemore tão alegremente as festas e comece a demonstrar sinais de ansiedade e depressão diante das situações vividas atualmente.

A depressão deve ser levada a sério e receber os devidos tratamentos. Não pode simplesmente ser justificada pelo período de férias.

A tristeza, por outro lado, é dolorida, difícil de disfarçar mesmo na companhia dos outros, mas é parte da vida. Somente sabendo o que é a tristeza podemos conhecer a alegria.

Talvez por isso seja importante, em fins de ciclo, ter dias para se lembrar do passado, dos caminhos percorridos, bons ou ruins.

O inevitável encontro com as lembranças tristes, durante o final do ano, pode aumentar a ansiedade e a tensão pelo fato de se ter que lidar com a ausência de alguém querido, a solidão, a erosão na alma de tradições perdidas ou o fato de estar marginalizado, seja pela idade ou outro fator qualquer.

Todavia, ao estarmos disponíveis para acolher a tristeza e abrir espaços para a criatividade, podemos nos inspirar em algumas tradições e rituais de tribos e povos que comemoram e celebram as boas memórias daqueles que se foram.

Eles fazem da tristeza uma oportunidade para reviver e compartilhar as memórias de pessoas queridas.

O tempo é aproveitado para relembrar e recontar histórias, olhar antigas fotografias, compartilhar conhecimento e lembranças com aqueles que ainda estão em nossas vidas e até mesmo cozinhar uma receita tradicional.

Esta pode ser uma oportunidade de passar para novas gerações, ou mesmo para outras pessoas, ensinamentos e aprendizagens daqueles que foram exemplos, preencher o cotidiano de nossas existências em um país colapsado com detalhes de vida e criar pontes, interconectando e aproximando laços emocionais que transcendem as faltas.

Tristeza não é depressão, é parte das transições e nos dá bases emocionais para a felicidade, transformando os tempos de festas de fim de ano em tempos doces, de lembranças e de presença, tanto daqueles que se encontram fisicamente presentes, quanto daqueles que não mais estão.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Êxtase

Estar em êxtase é se encontrar transportado para fora de si e do mundo sensível. Este estado pode ser gerado por uma exaltação …

neuroplasticidade

Neuroplasticidade

A ideia de colocar nossa intenção em algo e fazer afirmações diárias convergem para a noção de que se temos certeza …

epigenetica

Epigenética

Herdamos traços de nossas famílias de diferentes formas, não apenas na codificação genética. Uma afinidade por música …