Reflexões, dicas e ideias

Este é um espaço para troca de ideias e difusão de conhecimento. Leia, comente e faça sugestões de temas!

raiva

Raiva

Hoje em dia, sempre que ouvimos a palavra raiva lembramo-nos de um boneco quadrado, baixinho, meio atarracado e que literalmente explode a cabeça quando fica nervoso.

Graças à Pixar (com seu desenho Divertidamente) e ao nosso desejo de antropomorfização, conseguimos dar um aspecto humanizado a esse sentimento.

Um dos nossos mais importantes afetos inatos, também é um dos nossos sentimentos mais incompreendidos.

raiva
A raiva é um afeto negativo, mas é ela que nos dá sinal de que algo está acontecendo.

 

Por vezes revela excesso de stress e é um dos pontos finais de outros afetos negativos, como stress, vergonha, medo, nojo, etc.

Alguns pesquisadores dizem que a raiva é resultado direto de excesso de stress.

Existe um processo cumulativo, as coisas podem estar ocorrendo bem, mas um evento após o outro começa a nos empurrar para o limite.

Eventos que isolados seriam facilmente gerenciáveis, mas quando acumulados podem levar à raiva.

Conhecida como um sentimento contagioso, a raiva pode se espalhar.

É provável que quando estamos perto de uma pessoa com com esse sentimento, nosso nível de stress aumenta (e também nossa probabilidade de senti-la).

raiva
Raiva não é necessariamente um sentimento ruim. Tudo depende da intensidade e de nossas ações diante dela.

 

Ela pode fazer as pessoas se sentirem fortes e empoderadas para buscar seus objetivos. Por outro lado, também pode estimular pessoas a defender causas radicalmente.

Todos nós sentimos raiva e podemos lidar com ela de inúmeras maneiras.

Muitas pessoas engolem o sentimento e continuam a acumula-lo. Outras simplesmente a extravasam. Entretanto, ambas as abordagens continuam cultivando o sentimento.

Para lidar com ela precisamos primeiro reconhecê-la em nós. Cada um tem uma maneira de fazê-la em si e é importante saber como ela começa.

Todas as emoções são construídas no corpo e tem seus significados. Assim, podemos trabalhar no corpo para tentar entender e gerenciar a raiva.

raiva
A raiva causa excitação e técnicas de relaxamento podem ajudar a diminuir sua intensidade no sentido de melhor compreendê-la.

 

Essas técnicas podem incluir meditação, meditação ativa, movimento autêntico, práticas como Tai Chi Chuan, relaxamento de Jacobson, ouvir música, etc.

O velho ditado: “pensar antes de agir” também funciona nestes casos.

 

“Re-significar” o problema ou conflito.

Isso pode ser feito quando olhamos para a situação de outras perspectivas, ampliando nosso ponto de vista. Pesquisas recentes mostram que ter uma perspectiva mais distanciada e imparcial pode reduzir a raiva.

Encontrar maneiras de se distrair e voltar a atenção para outros tópicos que sejam mais agradáveis também podem funcionar para não ficarmos ruminando a respeito de algo que tenha tirado nossa paciência.

A terapia, como lugar de conhecimento de si mesmo, em que é possível dar acolhimento à raiva para tentar abrigá-la, compreendê-la e utilizá-la de maneira produtiva, pode ser utilizada neste gerenciamento de sentimentos.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Êxtase

Estar em êxtase é se encontrar transportado para fora de si e do mundo sensível. Este estado pode ser gerado por uma exaltação …

neuroplasticidade

Neuroplasticidade

A ideia de colocar nossa intenção em algo e fazer afirmações diárias convergem para a noção de que se temos certeza …

epigenetica

Epigenética

Herdamos traços de nossas famílias de diferentes formas, não apenas na codificação genética. Uma afinidade por música …