Reflexões, dicas e ideias

Este é um espaço para troca de ideias e difusão de conhecimento. Leia, comente e faça sugestões de temas!

autoestima

Autoestima

O tema “autoestima” virou moda. Obrigatório na seção se autoajuda de qualquer livraria, está presente em toda a parte e comporta tudo.

Autoestima parece uma palavra mágica. Nas buscas do Google aparecem nos anúncios de profissionais que tratam depressão, que fazem hipnose, em tarólogos, astrólogos, entre outros. Trazem consigo a promessa de elevar a autoestima do pretenso cliente mediante alguns passos.

Apesar disso, estudos e pesquisas neste campo estão apresentando um refinamento cada vez maior.

Existe um consenso de que a percepção que a pessoa tem de si mesma é o autoconceito, já a autoestima é a percepção que tem do seu próprio valor.

O autoconceito procede de processos cognitivos e está sujeito a uma série de fatores externos e internos à própria pessoa. São informações, fruto de opiniões alheias, que colhemos a nosso respeito e que formam, possivelmente, seus primeiros rudimentos.

As avaliações que nós próprios fazemos dos nossos desempenhos, das nossas ações, das nossas habilidades e características pessoais vão se somando a essas informações. Assim, vai ganhando corpo aquilo que achamos que somos, tanto do ponto de vista físico, quanto social e psicológico.

A autoestima, o sentimento de valor que acompanha essa percepção, revela-se como a disposição que temos para nos ver como pessoas merecedoras de respeito e capazes de enfrentar as intempéries da vida.

É por meio das relações da criança com as pessoas à sua volta que isso vai sendo estabelecido, primeiro por meio da linguagem não verbal e depois também pela linguagem propriamente dita. No primeiro caso, por exemplo, estão as reações de alegria ou de aborrecimento que seus atos provocam nos outros, o grau de solicitude com que seus desejos e suas necessidades são satisfeitos e até mesmo o jeito que a pegam no colo. No segundo caso, é tudo aquilo que é verbalizado a seu respeito.

Crianças pequenas vão recebendo aplausos, incentivos, zangas e repressões. Ouvem que são boazinhas, bobinhas e por meio disso vão se constituindo.

Após certo período de tempo e com a repetição desses padrões, aquilo que surgiu como um processo interpessoal começa a ser incorporado à própria estrutura psíquica da criança, tornando-se pessoal.

Cada criança traz as marcas da sua individualidade e a internalização se faz de acordo com tais marcas.

Não podemos nos esquecer de que a construção da identidade é uma construção social e histórica, mediada pelos mais diferentes tipos de linguagem e está sujeita a uma imensa gama de interpretações e reações. É exatamente isso que impede tratar a questão do autoconceito e da autoestima de forma linear.

Sabemos que a principal motivação da criança pequena é obter amor e aprovação dos pais ou das pessoas que ela considera importantes.

Os pais devem portanto cultivar empatia em relação à busca de identidade dos filhos, precisam estar atentos à necessidade de permanecer solidários com seus movimentos de avanços e recuos e nas tentativas que fazem de se conhecer e se autoafirmar.

Elos saudáveis construídos entre pais e filhos são fundamentais para ajudar estes últimos a conquistar uma identidade viável, consistente e apta a enfrentar a vida, o que é difícil.

O fato de a criança conseguir sentir que o que ela faz dá prazer a seus pais permite que se sinta importante por se auto reconhecer como fonte de prazer. Essa aprovação tem a função de incentivo para a formação de um eu diferenciado dos demais.

Isso nos leva a constatar o que na verdade quase todos sabemos: a importância dos pais, de outros que exerçam essa função e outros significantes como pessoas importantes para a criança, para a formação de seu autoconceito e de sua autoestima.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Êxtase

Estar em êxtase é se encontrar transportado para fora de si e do mundo sensível. Este estado pode ser gerado por uma exaltação …

neuroplasticidade

Neuroplasticidade

A ideia de colocar nossa intenção em algo e fazer afirmações diárias convergem para a noção de que se temos certeza …

epigenetica

Epigenética

Herdamos traços de nossas famílias de diferentes formas, não apenas na codificação genética. Uma afinidade por música …