Reflexões, dicas e ideias

Este é um espaço para troca de ideias e difusão de conhecimento. Leia, comente e faça sugestões de temas!

bem-estar

A síndrome do bem-estar

A palavra bem-estar está espalhada por todos os lados.

Produtos orgânicos são vendidos no supermercado, em todos os lugares ouve-se falar sobre a prática de atividade física, o número de participantes em aulas de yoga, zumba, crossfit e outras formas de movimento cresce a cada dia.

bem-estar
E não podemos nos esquecer das embalagens de produtos fitness, probióticos, etc…

 

Alguns autores dizem que a busca por bem-estar define nossa era, mas também nos sinaliza tendências que podem ser problemáticas, como a automatização social, o anti-intelectualismo, narcisismo e tecnocratismo.

 

Davies, Cederstrom e Spicer dizem que essa cultura dissemina a “síndrome do bem-estar” que propaga uma ilusão de completude e felicidade.

Segundo os autores:

O nascimento cultural de um sujeito inculcado com o valor de que a produtividade é o caminho para a completude e gratidão generalizada como a forma mais evoluída de expressão, é uma tragédia.

Entretanto, cada vez mais o novo mundo promete a quantificação do movimento por meio de aplicativos e tecnologias, tão intensos que é quase impossível escapar.

 

Como explicar tal momento, esta cultura de produtividade que invade todos os campos?

Mayo, estudioso considerado responsável pelo modelo da cultura corporativa moderna defende a ideia de que a felicidade dos colaboradores é a chave para a produtividade.

Mayo é considerado o responsável pela ideia de cuidado integral das pessoas, incluindo a saúde física, prática de exercícios, cuidado com alimentação etc.

É difícil dar crédito ao argumentos dos céticos da cultura do bem-estar que classificam-na como sendo uma cultura manipuladora e prejudicial, quando olhamos para o aumento da sensação de qualidade de vida, da vitalidade nos relacionamentos, entre outras vantagens em pessoas que se propõem a fazer parte das propostas feitas por muitas empresas de incentivo à atividade física e a um estilo de vida mais saudável.

Ao considerarmos os problemas de saúde acarretados pela inatividade, provavelmente nos inclinemos a pensar que o entusiasmo compartilhado para alcançar o bem-estar e a completude contribua para a esperança de movimento, de progresso.

 

Assim, a promessa do bem-estar pelo movimento próprio se abre como uma possibilidade entre ameaças de atrofia.

Existe, talvez, um entendimento distorcido ou parcial sobre a prática de atividade física, pois esta existe, por vezes, justamente por sua função social. Fato notável em um tempo de individualismos e declínio do engajamento social.

Reconhecer a experiência viva desta cultura do bem-estar poderia fortalecer as pesquisas acadêmicas sobre a influência deste fenômeno em cada um de nós e em nossa sociedade.

A experiência pessoal no esporte pode propiciar questões essenciais para que as pessoas se apropriem daquilo que dá significado à existência de cada um.

Esses significados não estão necessariamente ligados ao esporte, mas este pode ser o catalizador para entrarmos em contato com nossa própria diversidade e criatividade; um potencial inspirador.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Êxtase

Estar em êxtase é se encontrar transportado para fora de si e do mundo sensível. Este estado pode ser gerado por uma exaltação …

neuroplasticidade

Neuroplasticidade

A ideia de colocar nossa intenção em algo e fazer afirmações diárias convergem para a noção de que se temos certeza …

epigenetica

Epigenética

Herdamos traços de nossas famílias de diferentes formas, não apenas na codificação genética. Uma afinidade por música …